Posts Tagged ‘surfe’

A velha polêmica do Tow In

outubro 11, 2009
Durante o último sábado, dia 3 de outubro, fui surfar em São Pedro, no Guarujá (SP). Acompanhado do fotógrafo Edu Vertullo, cheguei para conferir as condições do mar por volta de 9:00h da manhã. Grata surpresa foi encontrar ondas de 1 metro abrindo muito, com a arrebentação fácil e pouco crowd na água.
Após surfar boas esquerdas e direitas por quase uma hora, tive outra grande surpresa, esta nada boa: duas duplas de tow in começaram a passar entre os surfistas, ao ponto de que em algumas situações eu vi o piloto desviar de surfistas que estavam sentados esperando a série. Isso mesmo, os caras estavam fazendo tow in em 1 metro de onda, no meio de pelo menos meia dúzia de surfistas que assistiam indignados às cenas bizarras.
Não sou contra o tow in, muito pelo contrário, admiro muito o esporte, apesar de não praticar. O problema é que a modalidade está se disseminando com muita intensidade e pouca organização ou respeito. Muito se fala em associações, regulamentação etc, mas a verdade é que isso não tem acontecido na prática. Sinceramente, vejam as fotos deste dia ao qual me refiro. Compare as imagens dos surfistas de remada e as imagens que o fotógrafo Du Vertullo fez dos surfistas de tow in. Além de todo o treinamento que aborda pilotagem, técnicas de resgate, primeiros socorros, entre tantas outras que o tow in demanda, os surfistas que usam o jet precisam de muito bom-senso. Surfar ondas de 1 metro em meio a outros surfistas é no mínimo perigoso e imprudente, para não dizer constrangedor!

Durante o último sábado, dia 3 de outubro, fui surfar em São Pedro, no Guarujá (SP). Acompanhado do fotógrafo Edu Vertullo, cheguei para conferir as condições do mar por volta de 9:00h da manhã. Grata surpresa foi encontrar ondas de 1 metro abrindo muito, com a arrebentação fácil e pouco crowd na água.

IMG_086

Após surfar boas esquerdas e direitas por quase uma hora, tive outra grande surpresa, esta nada boa: duas duplas de tow in começaram a passar entre os surfistas, ao ponto que em algumas situações eu vi o piloto desviar de surfistas que estavam sentados esperando a série. Isso mesmo, os caras estavam fazendo tow in em 1 metro de onda, no meio de pelo menos meia dúzia de surfistas que assistiam indignados às cenas bizarras.

IMG_157Não sou contra o tow in, muito pelo contrário, admiro muito o esporte, apesar de não praticar. O problema é que a modalidade está se disseminando com muita intensidade e pouca organização ou respeito. Muito se fala em associações, regulamentação etc, mas a verdade é que isso não tem acontecido na prática. Sinceramente, vejam as fotos deste dia ao qual me refiro. Além de todo o treinamento que aborda pilotagem, técnicas de resgate, primeiros socorros, entre tantas outras que o tow in demanda, os surfistas que usam o jet precisam de muito bom-senso. Surfar ondas de 1 metro em meio a outros surfistas é no mínimo perigoso e imprudente, para não dizer constrangedor!

Litoral norte de São Paulo em perigo

setembro 29, 2009
Pense na seguinte situação: surfar um mar gigante, com 12 ou 15 pés havaianos, por exemplo, com uma prancha 6 pés. Pior ainda, o mar não pára de crescer e o seu equipamento, que é absolutamente inadequado para as condições, está de fato colocando a sua saúde em risco. Metaforicamente, isso está acontecendo no litoral norte de São Paulo. Segundo o plano diretor da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), as cidades de Bertioga, São Sebastião e Ilha Bela são as que mais crescem no estado (na última década o ritmo foi de 16,1%, 7,2% e 12,2%, respectivamente). Ainda de acordo com o documento, São Sebastião trata apenas 30% do esgoto, Ilha Bela trata espantosos e insignificantes 4%, Bertioga 34% e o litoral norte, em média, 28%.
Esta situação extremamente preocupante não é recente. No fim de 2007, a Sabesp já falava em um investimento de R$ 2 bilhões, que teoricamente elevaria, por meio do programa Onda Limpa, o índice de coleta e tratamento de esgoto desta região para 80% até 2011. Atualmente, o Governo do Estado garante que vai elevar a coleta e tratamento de esgotos do Litoral Norte para 85% até 2015 e que o Onda Limpa prevê investimentos de cerca de R$ 1,5 bilhão na Região Metropolitana da Baixada Santista e Litoral Norte de São Paulo.
Em audiência recente com Ernane Bilotte Primazzi e Toninho Colucci, prefeitos de São Sebastião e Ilha Bela, respectivamente, a secretária estadual de Saneamento e Energia, Dilma Pena, informou que o Governo de São Paulo vai investir mais R$ 57,2 milhões em obras do programa Onda Limpa. Este é o terceiro anúncio de investimentos desde o lançamento do programa, em 2008 O presidente da Sabesp, Gesner Oliveira, também participou do encontro com os prefeitos.
Você se importa? Cobre os prefeitos dos municípios, cobre a senhora. Dilma Pena e o senhor Gesner Oliveira. Informe-se sobre o cronograma do Onda Limpa. Perder a balneabilidade das praias significa o caos na região e nós não estamos longe desta situação, considerando a quantidade de esgoto que é gerado e não recebe o devido tratamento. É uma questão crucial, pois afeta diretamente à saúde de todos. A questão vai muito além de ficar sem o seu pico predileto para surfar, é uma questão séria de saúde pública.

Pense na seguinte situação: surfar um mar gigante, com 12 ou 15 pés havaianos, por exemplo, com uma prancha 5.11 . Pior ainda, o mar não pára de crescer e o seu equipamento, que é absolutamente inadequado para as condições, está de fato colocando a sua saúde em risco. Metaforicamente, isso está acontecendo no litoral norte de São Paulo. Segundo o plano diretor da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), as cidades de Bertioga, São Sebastião e Ilha Bela são as que mais crescem no Estado (na última década o ritmo foi de 16,1%, 7,2% e 12,2%, respectivamente). Ainda de acordo com o documento, São Sebastião trata apenas 30% do esgoto, Ilha Bela trata espantosos e insignificantes 4%, Bertioga 34% e o litoral norte, em média, 28%.

Esta situação extremamente preocupante não é recente. No fim de 2007, a Sabesp já falava em um investimento de R$ 2 bilhões, que teoricamente elevaria, por meio do programa Onda Limpa, o índice de coleta e tratamento de esgoto desta região para 80% até 2011. Atualmente, o Governo do Estado garante que vai elevar a coleta e tratamento de esgotos do Litoral Norte para 85% até 2015 e que o Onda Limpa prevê investimentos de cerca de R$ 1,5 bilhão na Região Metropolitana da Baixada Santista e Litoral Norte de São Paulo.

praia_lixeira-9237

Em audiência recente com Ernane Bilotte Primazzi e Toninho Colucci, prefeitos de São Sebastião e Ilha Bela, respectivamente, a secretária estadual de Saneamento e Energia, Dilma Pena, informou que o Governo de São Paulo vai investir mais R$ 57,2 milhões em obras do programa Onda Limpa. Este é o terceiro anúncio de investimentos desde o lançamento do programa, em 2008. O presidente da Saesp, Gesner Oliveira, também participou do encontro com os prefeitos.

Você se importa? Cobre os prefeitos dos municípios, cobre a senhora Dilma Pena e o senhor Gesner Oliveira. Informe-se sobre o cronograma do Onda Limpa e conheça o programa. Perder a balneabilidade das praias significa o caos na região e nós não estamos longe desta situação, considerando a quantidade de esgoto que é gerado e não recebe o devido tratamento. É uma questão crucial, pois afeta diretamente à saúde de todos. A questão vai muito além de ficar sem o seu pico predileto para surfar, é uma questão séria de saúde pública.

A fórmula da Inspiração

setembro 25, 2009
Luz, câmera e muita ação. Esses são os elementos que compõem o trabalho de quem se dedica a produzir imagens de surf. Sempre fui literalmente um fotógrafo amador de surf, considerando que não vivo da fotografia e faço porque sou apaixonado. Como jornalista, escrever é a minha ocupação profissional. O texto, na minha opinião, funciona muitíssimo bem quando o intuito é estimular o raciocínio, fazer pensar. Mas imagens funcionam muito melhor quando a intenção é levar ao resto do mundo um pouco da sensação de estar absolutamente envolvido pelo oceano, acelerando sobre a face de uma onda, dentro de um tubo ou em uma praia paradisíaca, por exemplo. Imagens funcionam melhor para fazer sonhar.
Uma das boas entrevistas que eu acredito ter realizado na minha carreira, publicada em maio de 2009 no NEXTSURF, foi com o fotógrafo australiano Tim Mckenna. (Confira a entrevista!) Quando questionado sobre qual seria o maior legado de uma vida como fotógrafo, Mckenna afirmou que se sente “feliz por ter criado algo original e duradouro. Imagens que fazem as pessoas sonharem e respeitarem mais a natureza”.
Eu concordo plenamente: essa é a grande riqueza do trabalho desenvolvido por todos os profissionais que produzem imagens e textos de surf. A idéia é criar matérias que inspiram, fazem sonhar, porque sonhos são fundamentais para a elaboração de metas, que por sua vez necessitam ser concretizadas para que possamos atingir a felicidade.
É como disse o falecido poeta norte-americano JD Salinger: “o universo inteiro conspira a favor do homem que sabe o que quer”. Sonhar, idealizar e concretizar, essas são as etapas que formam o ciclo iniciado pela fórmula da inspiração.

Luz, câmera e muita ação. Esses são os elementos que compõem o trabalho de quem se dedica a produzir imagens de surf. Sempre fui literalmente um fotógrafo amador de surf, considerando que não vivo da fotografia e faço porque sou apaixonado. Como jornalista, escrever é a minha ocupação profissional. O texto, na minha opinião, funciona muitíssimo bem quando o intuito é estimular o raciocínio, fazer pensar. Mas imagens funcionam muito melhor quando a intenção é levar ao resto do mundo um pouco da sensação de estar absolutamente envolvido pelo oceano, acelerando sobre a face de uma onda, dentro de um tubo ou em uma praia paradisíaca, por exemplo. Imagens funcionam melhor para fazer sonhar.

Uma das boas entrevistas que eu acredito ter realizado na minha carreira, publicada em maio de 2009 no NEXTSURF, foi com o fotógrafo australiano Tim Mckenna. Quando questionado sobre qual seria o maior legado de uma vida como fotógrafo, Mckenna afirmou que se sente “feliz por ter criado algo original e duradouro. Imagens que fazem as pessoas sonharem e respeitarem mais a natureza”.

mentawai

Eu concordo plenamente: essa é a grande riqueza do trabalho desenvolvido por todos os profissionais que produzem imagens e textos de surf. A idéia é criar matérias que inspiram, fazem sonhar, porque sonhos são fundamentais para a elaboração de metas, que por sua vez necessitam ser concretizadas para que possamos atingir a felicidade.

É como disse o falecido poeta norte-americano JD Salinger: “o universo inteiro conspira a favor do homem que sabe o que quer”. Sonhar, idealizar e concretizar, essas são as etapas que formam o ciclo iniciado pela fórmula da inspiração.